Notícias › 04/06/2016

Solenidade do Sagrado Coração de Jesus

Sexta-feira, 03 de junho

04-630

TEMA: Construir a casa da fraternidade

       “Amo com as mãos pela pureza das obras”

Queridos irmãos e irmãs, Paz e Bem! Os textos que acabamos de ouvir nos lançam de cheio mais uma vez no grande tema desta trezena: “Se me amas, apascenta”. Apascentar, nós já vimos no primeiro dia, significa conduzir ao pasto, ao lugar onde o rebanho possa encontrar água e comida a fim de prosseguir em sua jornada. No sentido da vida cristã, a água pode remeter a nosso batismo: ainda crianças fomos mergulhados em Deus, e batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. E, simbolicamente, esta água brota do próprio coração de Jesus, de onde jorrou água e sangue quando aberto pela lança do soldado sobre a cruz. Ali nós encontramos a água viva, que renova o nosso ser a partir de dentro, a partir de uma adesão visceral a Cristo.

Água cristalina que jorra do peito aberto de Jesus, lá na cruz.
É uma água viva que cura e que liberta

Cuja a fonte é o próprio Jesus.
Chuê, chuê! Chuá, chuá! Nesta água eu vou me banhar.

E a comida? É o próprio corpo de Cristo, o Pão da vida, a carne do coração apaixonado de Jesus que nós repartimos na Eucaristia. Fonte inesgotável de misericórdia: alimento, remédio, vitamina para alimentarmos as melhores qualidades que trazemos dentro de nós.

04-350O Pão do Céu és Tu, Jesus. Via de amor, nos transformas em ti.

A água do batismo e o pão da Eucaristia são fontes inesgotáveis de graça e a maior delas é termos a chance de sintonizar o nosso coração ao Coração de Jesus, de modo que ambos batam no mesmo ritmo. Caminhando nesta direção, somos capazes de nos sentir cada vez mais irmão e irmãs uns dos outros, de construirmos juntos a casa da fraternidade, na qual somos pedras vivas unidas pelo cimento do amor.

Mas na prática, o que significa construir a casa da fraternidade?

Primeiro ponto seria considerar cada ser humano um mistério de valor inestimável. Mais ou menos como lembra a letra de música que diz: “Quero a unimultiplicidade, onde cada homem é sozinho a casa da humanidade”. Construir a casa da fraternidade é trabalhar com força e coragem para que todos tenham os seus direitos básicos garantidos. Cda pessoa que vive na rua, cada ser humano que passa fome, cada idoso que é abandonado, cada mulher que é abusada traz ao chão, faz desabar a casa da fraternidade. São nossos irmãos e irmãs.

O segundo ponto é a consciência de que, apesar de ser tarefa comum e coletiva, a construção da casa da fraternidade depende totalmente da adesão individual de cada um.

E o terceiro é a sensibilidade de perceber a necessidade concreta de cada pessoa. E esta inspiração vem do próprio texto bíblico da primeira leitura, quando o Bom Pastor descreve os diferentes modos de lidar com as ovelhas de acordo com as urgências de cada uma: “Vou procurar a ovelha perdida, reconduzir a extraviada, enfaixar a da perna quebrada, fortalecer a doente, e vigiar a ovelha gorda e forte.
Vou apascentá-las conforme o direito” (Ez 34,16).

Identificar as necessidades: não adianta os pais encherem os filhos de presentes se o que eles precisam de verdade é de diálogo, escuta interessada e atenta, orientação. Também em relação a um pedinte ou a um morador de rua: com frequência o nosso cumprimento cordial, o nosso olhar nos olhos, a nossa boa disposição de ouvi-lo podem fazer um bem maior do que algumas moedas dadas com total displicência. Lá em casa, aquele idoso que tem mania doença, vai em todos os médicos possíveis e imagináveis, toma um caminhão de remédios, será que não estaria precisando apenas de um pouco mais de atenção, de sentir-se últil, valorizado, amado? Como Igreja e como Comunidade Paroquial também podemos nos perguntar: “Será que temos oferecido aquilo que de fato as pessoas vêm aqui buscar?” E para conhecermos estas necessidades, precisamos estar de coração aberto, pensando muitas vezes mais no outro do que em nós mesmos.

Construir a casa da fraternidade! Este é o convite que Jesus nos faz hoje, neste quarto dia da Trezena, em que temos a graça de celebrar o Seu Sagrado Coração.

Coração Santo, tu reinarás…