Liturgia › 29/11/2017

A coragem do testemunho

liturgiaFlorianopolois1Lc 21, 12-19

* 12 «Mas, antes que essas coisas aconteçam, vocês serão presos e perseguidos; entregarão vocês às sinagogas, e serão lançados na prisão; serão levados diante de reis e governadores, por causa do meu nome. 13 Isso acontecerá para que vocês dêem testemunho. 14 Portanto, tirem da cabeça a idéia de que vocês devem planejar com antecedência a própria defesa; 15 porque eu lhes darei palavras de sabedoria, de tal modo que nenhum dos inimigos poderá resistir ou rebater vocês. 16 E vocês serão entregues até mesmo pelos próprios pais, irmãos, parentes e amigos. E eles matarão alguns de vocês. 17 Vocês serão odiados por todos, por causa do meu nome. 18 Mas não perderão um só fio de cabelo. 19 É permanecendo firmes que vocês irão ganhar a vida!»


* 12-19: A relação entre Deus e os homens continua através dos discípulos, que devem prosseguir a missão de Jesus pelo testemunho. Contudo, assim como Jesus encontrou resistência, também eles: serão perseguidos, presos, torturados, julgados e até mesmo mortos por continuarem a ação de Jesus. Mas não devem ficar preocupados com a própria defesa. O importante é a coragem de permanecer firmes até o fim.

Bíblia Sagrada – Edição Pastoral

_____________________________

São Saturnino de Toulouse

29São Saturnino é venerado como missionário que foi o primeiro bispo de Toulouse e é uma das devoções mais populares na França e na Espanha. Segundo escritos conhecidos como a “Paixão de Saturnino”, ele pregou dos dois lados dos Pirineus, entre os anos 430 e 450.

Por onde andou, pregava com fervor, convertendo quase todos os habitantes que encontrava ao cristianismo. Consta que ele ordenou o futuro são Honesto e juntos foram para a Espanha, onde teria, também, batizado o agora São Firmino. Depois, regressou para Toulouse, mas antes consagrou o primeiro como bispo de Pamplona e o segundo para assumir a diocese de Amiens.

Embora houvesse um decreto do imperador proibindo e punindo com a morte quem participasse de missas ou mesmo de simples reuniões cristãs, Saturnino liderou os que o ignoravam. Continuou com o santo sacrifício da missa, a comunhão e a leitura do Evangelho.

O autor de sua “passio”, relata que ele costumava reunir fiéis numa pequena igreja de Toulouse, e que o principal templo pagão da cidade erguia-se entre a igreja e a residência do santo. Nesse templo pagão eram feitos oráculos, mas fazia tempo que os mesmos haviam silenciado, o que se atribuía à presença do bispo cristão. Dessa forma, os sacerdotes pagãos, certo dia, o agarraram quando estava passando por perto e o arrastaram para o interior do templo, declarando que deveria apaziguar os deuses ofendidos, oferecendo-lhes em sacrifício um touro a Júpiter, ou senão aplacar os deuses com o seu sangue. Saturnino respondeu: “Venero um só Deus e estou preparado para lhe oferecer um sacrifício de louvor. Vossos deuses são maus e se comprazem mais com o sacrifício de vossas almas do que as dos vossos novilhos. Como posso temer aqueles que, como vós mesmos reconheceis, tremem na presença dos cristãos?”

Enfurecidos com esta resposta foi amarrado pelos pés ao pescoço do animal, que o arrastou pela escadaria do templo. Morreu com os membros esfacelados.

O seu corpo foi recolhido e sepultado por duas cristãs. No local, um século mais tarde, são Hilário construiu uma capela de madeira, que logo foi destruída. Mas as suas relíquias foram encontradas, no século VI, por um duque francês, que mandou, então, erguer a belíssima igreja dedicada a ele, chamada, em francês, de Saint Sernin du Taur, que existe até hoje com o nome de Nossa Senhora de Taur. O culto ao mártir são Saturnino, bispo de Toulouse, foi confirmado e mantido pela Igreja em 29 de novembro.

A Igreja celebra ainda neste dia a memória dos santos: Iluminada, Brás de Véroli e Paramão